MÃES DO CINEMA: PARA AMAR OU ODIAR

MÃES DO CINEMA: PARA AMAR OU ODIAR

> Amiga, confidente, divertida, superprotetora, exagerada ou que mata os filhos de vergonha? Dizem que mãe é tudo igual, mas o cinema mostra que existem figuras muito diferentes quando o assunto é maternidade. A sua se parece com alguma delas? Faça o teste e descubra quais desses perfis sua mãe têm!

(     )  COMO ELA CONSEGUE?

Sua mãe aparenta ter superpoderes para dar conta de tanta coisa? Parece que tudo anda em ordem e equilíbrio: carreira, casa, cuidado com os filhos, às vezes, até netos. A verdade é que algumas mães têm um segredo na manga. Existem Helenas que, na verdade, são mulhereselásticas, como em Os incríveis. Quem sabe a sua mãe também tenha algum superpoder escondido que você ainda não conhece.

 

(     )  MELHOR AMIGA

Pode ser que nem sempre ela entendeu tudo o que você estava sentindo ou passando. Mas, de repente, sua mãe se tornou sua amiga, confidente e a melhor companhia para passear? Para Sophie, de Mamma Mia!, sua mãe, Donna, é ainda a companheira ideal para dançar e cantar. Quem também sabe o que é viver entre tapas e beijos com
a mãe é a Maria de Lourdes, de Fala sério, mãe! O filme retrata bem as loucuras da maternidade e como o relacionamento mãe-e-filha pode ser ora complicado, ora maravilhoso.

 

(     )  “ME MATA DE VERGONHA”

Aparecer na balada dos filhos de pijama, gritar ordens pela janela do prédio, criar confusão com os vizinhos… Se sua mãe, às vezes, faz você desejar sumir por alguns instantes,
ela pode ser muito parecida com a Dona Hermínia, dos filmes Minha mãe é uma peça. Aliás, por que não a convida para uma sessão de comédia e faz uma maratona com os
filmes protagonizados por Paulo Gustavo? Porque a Dona Hermínia pode fazer barraco, mas também ama passar um tempo com os filhos.

 

(     )  NÃO DESISTE JAMAIS

Haja o que houver, sua mãe faz o que for necessário para garantir seu bemestar? Algumas mulheres do cinema foram até as últimas consequências pelo bem de suas crianças, como Sarah Connor, que está pronta para lutar com ciborgues do futuro e garantir a segurança de seu filho na saga O exterminador do futuro. E como amor de mãe não existe só na ficção, o cinema também retratou a história real de Betty, que arriscou a própria vida para fugir ilegalmente de outro país e escapar de um marido abusivo, no filme Nunca sem minha filha. Outro longa, baseado em fatos verídicos, que mostra o poder do amor de mãe é O óleo de Lorenzo. Michaela decide mergulhar nos estudos de biologia, fisiologia e medicina para achar uma cura para a até então desconhecida doença neurológica do filho. Lorenzo, na vida real, viveu 20 anos a mais do que previam os médicos, graças ao tratamento desenvolvido pelos pais do garoto.

 

(     )  DE CORAÇÃO

Muitas mães não geraram seus filhos no útero, mas os carregam no coração. O jogador de futebol norte-americano Michael Oher pode confirmar a diferença que uma mãe fez em sua vida. Graças ao acolhimento de Leigh Anne, o garoto saiu das ruas para se tornar um astro do esporte. A história emocionante é contada no filme Um sonho possível.
Enquanto Michael recebeu bem o amor de Leigh Anne e sua família, no filme Lado a lado, o casal Anna e Benjamin tem dificuldades em aceitar a presença da madrasta Isabel
em suas vidas. Susan Sarandon e Julia Roberts precisam aprender a conviver pelo bem das crianças. A madrasta irá fazer seu melhor para acolher e amar seus enteados.

 

(     )  PIOR MÃE DO MUNDO

Muita gente passa por uma fase de odiar sua mãe, especialmente na época da adolescência. Mas será mesmo que ela é tão ruim assim? Vamos pensar em algumas mulheres que poderiam ganhar o título de piores mães do mundo, pelo menos por um dia:
• A mãe que viajou com a família toda e esqueceu o filho de 8 anos de idade em casa. É, o Natal não foi nada fácil para Kevin, de Esqueceram de mim.
• A mãe que criou o filho para odiar mulheres e ser completamente dependente dela, inclusive após sua morte. Norman e Norma Bates, de Psicose, definitivamente não tinham um relacionamento saudável.
• A mãe desequilibrada de Carrie, a estranha tem certeza que trancar a filha no porão e isolá-la de qualquer contato social irá mantê-la pura. Só que ao entrar no colégio, a garota sofre com a criação extremista. E seus colegas também!