EDUARDO FERRAZ, CONSULTOR E ESCRITOR

EDUARDO FERRAZ, CONSULTOR E ESCRITOR

> Você conhece pessoas que estão infelizes em empregos considerados ótimos? Isso acontece porque há muitos profissionais em funções que são incompatíveis com sua personalidade.

O consultor Eduardo Ferraz, que tem mais de 30 anos de experiência em gestão de pessoas, lançou uma obra para ajudar profissionais que se sentem no lugar errado. “O livro Seja a pessoa certa no lugar certo traz ferramentas baseadas nos conceitos mais modernos da neurociência comportamental, da psicologia aplicada e em minha experiência de mais de três décadas em gestão de pessoas”, explica o autor.

A obra oferece instruções claras, testes objetivos e metodologia prática para ajudar o leitor a definir os empregos, atividades e profissões mais compatíveis com sua personalidade. Além disso, auxilia o gestor a aproveitar melhor os talentos de sua equipe. Confira entrevista exclusiva com o autor.

LER&CIA | Você afirma que o autoconhecimento é fundamental para a satisfação profissional. Por quê?

Eduardo Ferraz | Antes de mudar qualquer aspecto em sua profissão ou de seguir em uma nova direção, a pessoa precisa conhecer seus pontos fortes para aproveitá-los
ao máximo, mas também deve ter plena consciência de seus pontos limitantes e ajustá-los. Ao estudar como se formou sua personalidade, o profissional verá que existem comportamentos que podem ser alterados e outros quase imutáveis. Entender o que é possível mudar e o que deve ser aceito será fundamental. Assim, a pessoa poderá usar sua energia para obter o melhor de si, sem desperdiçá-la com o que não vale a pena.

Você apresenta a tese de que as pessoas agem, em seu cotidiano, guiadas por “filtros mentais”. Como eles interferem em nosso comportamento?
Inconscientemente, distorcemos os fatos porque enxergamos o mundo por meio de filtros ou viéses cognitivos, que nos levam a perceber as informações de maneira parcial.
Isso significa que vemos, sentimos e interpretamos o mundo diferentemente do que acontece na realidade. Dito de outra maneira, criamos roteiros mentais falhos que organizam nossa tomada de decisão. O problema é que, muitas vezes, um roteiro equivocado nos leva a caminhos nos quais perdemos muito tempo – em alguns casos, anos –
ao insistirmos em empregos ruins, em profissões para as quais não temos talento ou em negócios inviáveis.

Quais características a pessoa deve conhecer sobre si próprio?
Existem quatro pilares estruturais na personalidade, também conhecidos como perfil DISC: Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade. Além de estudar o próprio perfil, a pessoa deverá conhecer suas motivações profissionais, seus talentos naturais, suas atitudes positivas e seus pontos limitantes, todos explicados no livro.

É possível tentar adaptar nossa personalidade para se adequar a um trabalho ou será um esforço inútil?
Sempre é possível ajustar alguns aspectos da personalidade para se adaptar melhor a um trabalho. Entretanto, essa “margem de manobra”, que os neurocientistas chamam de neuroplasticidade, têm limites. Se você gosta de pelo menos 70% do que faz no trabalho, provavelmente está no lugar certo. Os outros 30% são chateações, problemas e desconfortos que todo mundo tem em qualquer lugar. O contrário indica que você está no lugar errado.