A maternidade SEM MÁSCARAS

A maternidade SEM MÁSCARAS

> Depois de brilhar com sua atuação em novelas e filmes, a atriz
Fernanda Rodrigues descobriu uma nova paixão: a maternidade.

Em 2009, ela teve sua primeira filha, Luisa, hoje com 9 anos. Na época, ela criou o blog Cheguei ao mundo para dividir sua experiência como mãe de primeira viagem. Em 2016, teve seu segundo filho, Bento, e consolidou sua vocação não apenas para a maternidade, mas também para ajudar e inspirar outras mamães.

Na obra Meu jeito de ser mãe, ela compartilha sua experiência com a maternidade fugindo dos estereótipos relacionados à gravidez e à criação de filhos. Para trazer mais informação para as leitoras, o livro contou com a consultoria de uma obstetra-ginecologista, uma pediatra e uma dermatologista que ajudam a destrinchar temas relativos à saúde da mulher, da criança e da gestante. As dificuldades,
claro, também são abordadas; desde as questões práticas e desafiadoras do dia a dia em família até os conflitos e inseguranças que afligem todas as mães.

Em entrevista exclusiva à LER&CIA, Fernanda fala sobre o universo materno e o livro, que promete ser de grande ajuda para mães de todas as viagens.

LER&CIA | Com tanta informação disponível na internet, os desafios da maternidade estão mais expostos e a visão de que ser mãe é um “mar de rosas” tem sido desfeita. Por outro lado, o extremo da maternidade sempre difícil e sofrida também é perigoso. Como você acha possível equilibrar essas duas concepções?

Mas a verdade é que, depois de ter filho, nunca mais você vai deixar de escutar alguém vindo com uma sugestão, dica, mandinga, conselho…”

(Trecho do livro)

Fernanda Rodrigues | Acho que ser mãe hoje em dia requer muito mais atenção! É bem mais desgastante… As mães antigamente tinham algum respiro, um pouco de tranquilidade, hoje não tem como. São muitas coisas vindo à tona ao mesmo tempo. A internet, as drogas, a violência. Eu acredito na maternidade real, na função por inteiro, e isso não é fácil. O mais importante é dedicação, informação, paciência e amor.

Quais atitudes são fundamentais para encarar a maternidade de maneira mais leve?

Na minha vivência, procuro me apegar ao bom humor, muitas vezes ele me salva! Em vez de ficar com raiva, dou risada (mesmo que seja internamente). Respirar fundo também é bom. Estou exercitando muito a respiração no meu dia a dia. Estou longe de ser a mãe perfeita, mas todos os dias acordo pensando que sou a melhor mãe que consigo ser!

Para você, quais são os maiores desafios da maternidade?

O equilíbrio! É muito difícil equilibrar tudo que a maternidade demanda, além de todas as outras coisas que precisamos fazer, ser e administrar nessa vida.

Você também sofre com a culpa – que parece fazer parte da vida de toda mãe?

Confesso que estou trabalhando nisso e me saindo bem melhor na parte da culpa. Com o segundo filho estou achando bem mais fácil administrar.

Como surgiu a ideia de transformar toda a sua experiência com a maternidade em um blog e no livro?

O blog foi logo depois que a Luisa nasceu. Eu escrevia todas as minhas preocupações, descobertas, as coisas que ia sentindo e pensando. Chegou uma hora que resolvi fazer o blog, para dividir com outras mães as minhas experiências e conteúdos de especialistas. Então, as pessoas foram gostando e se identificando porque não havia muita informação real nessa época, de uma mãe que estava vivendo tudo aquilo.Depois de quase sete anos escrevendo o blog, senti que estava na hora de nascer o livro. Ele é um complemento disso tudo.

Seu filho chegou ao mundo, mas não se esqueça de você. Lembre que a vaidade na medida certa é muito saudável: faz bem para o corpo e para a alma.”

(Trecho do livro)

Como você encara os “pitacos” que todas as mães escutam? Como não se deixar abalar?
Tem um capítulo do livro sobre isso. É muito engraçado todo mundo ter uma dica, uma opinião diferente. Eu me divertia demais com isso, e anotei todas. Com o tempo, usei algumas, outras não funcionaram e houve aquelas que eu descartei logo de cara.

Como foram os seus dias pós-parto?
Eu sempre digo que esse é o momento mais difícil. É aquele tempo em que você precisa reunir todas as suas forças pra seguir. Eu me preparei para quando chegasse essa hora, nas duas vezes. Então, até que me saí bem! Mas não é fácil. É muito importante se informar e se preparar para esses dias.

Ser mãe é a missão mais completa e complexa que uma mulher pode receber.”

(Trecho do livro)

O livro contou com a revisão técnica de diversos profissionais para trazer conteúdo de qualidade. Quais deveriam ser os cuidados das leitoras – gestantes e mães – quando buscam informações tanto em livros quanto na internet?

Essa é exatamente a minha preocupação. Sempre! Quando estamos grávidas ficamos confusas, inseguras; é muita coisa nova para pensar e decidir. Então, procurei sempre contar a minha experiência, mas com informação de especialistas também. Porque não adianta nada só dizer o que fiz ou o que funcionou pra mim. Cada gravidez é diferente,
cada mãe é única, cada criança também! As profissionais que escrevem no blog e no livro são para complementar o que conto e dar informações de qualidade, técnicas e soluções importantes que, às vezes, eu mesma não tenho ou que não serve pra todo mundo. Acho muito importante você consultar especialistas de confiança e se informar sobre a maternidade. Com conhecimento podemos tornar nosso dia a dia como mãe muito mais leve, por isso sempre tive esse cuidado.

Família nas redes

Além do conteúdo rico e das dicas de profissionais, o blog Cheguei ao mundo também tem um espaço para mostrar um pouquinho mais da família e cotidiano materno da Fernanda.
No Instagram (Instagram.com/chegueiaomundo), ela responde a perguntas dos leitores nos stories e também posta fotos com os filhos.