A VOLTA DA CALIGRAFIA

A VOLTA DA CALIGRAFIA

> Forte tradição nos EUA e muito comum na Europa, o lettering voltou a ganhar força no Brasil nos últimos anos. A arte de desenhar “à mão livre”, alternando imagens e letras, já foi um recurso muito recorrente na publicidade e agora retorna como uma espécie de “resposta” a um mundo quase que completamente tecnológico.

Essa é a avaliação do designer gráfico e ilustrador Osvalter Urbinati, fã da técnica e que traz aos leitores da LER&CIA dicas para quem quer se arriscar e começar no lettering. “Acredito que funciona como a moda, em ciclos, que sempre tem alguma estética que volta a ser utilizada e fazer sentido”, diz.

Lettering ou Tipografia?

O lettering é mais artístico do que a tipografia. “O desenho de uma família de letras com todos os caracteres utilizáveis em diversos meios, dos mais variados tamanhos, é a tipografia. Já o lettering se assemelha a uma marca: você desenha as letras para formar uma palavra, ou sequência de palavras para um uso específico”, explica.

Como Começar?

Um exercício para quem se interessa pela arte é copiar fontes. “Isso faz com que você comece a analisar e entender como as letras funcionam”, explica Urbinati. Conhecer caligrafia também ajuda. É bom ter em mente que, em lettering, nem tudo precisa ser feito à mão. “Você pode planejar e finalizar digitalmente, por exemplo”, diz ele.

Como Criar?

“O essencial é saber o que se quer fazer e buscar um conceito, uma “sacada”. Assim você caminha para uma direção específica e o resultado tende a ser mais satisfatório. E, claro, riscar, riscar e riscar. O chamado ‘pensar com os dedos’”, orienta o ilustrador. Já quando se deparar com a “trava criativa”, a dica é buscar por trabalhos inspiradores!

Inspiração

Entre os artistas que são fonte para beber, Osvalter Urbinati cita Louise Fili e seu marido, Steven Heller. O mentor de Fili, Herb Lubalin, também deve estar no radar dos interessados em lettering. Na parte de caligrafia, a recomendação é dar uma olhada na produção de Luca Barcellona. Confira também o trabalho do curitibano Oswaldo Miranda (Miran), autor da revista Gráfica e um grande nome do design nacional e internacional na área de lettering.

Saiba mais sobre Brush Lettering

Um dos estilos de lettering, o brush lettering é conhecido por usar fontes com variação de espessura. Aqui, a dica é usar as ferramentas adequadas, que são as chamadas brush pens. Essas canetas possuem geralmente dois lados, um com a ponta em forma de pincel redondo e a outra com cerdas ou com material poroso, como feltro. As feitas para iniciantes são mais firmes e ajudam quando é necessário treinar a precisão. Há outras que são mais leves e delicadas, no estilo de um pincel de pelos.