PELO FIM DAS DIETAS

PELO FIM DAS DIETAS

> Quem nunca tentou fazer dieta e terminou frustrado porque não conseguiu? E não estamos falando só dos regimes “malucos”, como a dieta da lua, do sol ou qualquer uma dessas que promete milagres. Seguir uma indicação alimentar, com permissões e proibições, está, invariavelmente, fadado ao fracasso.

É isso que afirma Rodrigo Polesso, autor do livro Este não é mais um livro de dieta e certificado em nutrição otimizada para saúde e bem-estar pela Universidade Estadual de
San Diego, na Califórnia, EUA.

O autor defende o estilo a que chamou de “Alimentação Forte”, no qual a rotina alimentar deve ser focada na qualidade e não na quantidade. “Ela deve ser flexível, saborosa e dinâmica, levando as pessoas ao peso ideal e as mantendo lá sem esforço”, diz. Para ajudar a desmitificar alguns conceitos e padrões, conversamos com Rodrigo Polesso sobre
controle alimentar, qualidade de vida, compulsão e saúde. Confira a entrevista exclusiva:

LER & CIA | Seguir uma dieta é uma das maiores dificuldades de quem quer perder peso e cuidar da saúde. Por que é tão difícil?
Rodrigo Polesso | Dieta é um conceito comprovadamente falho. Estudos de acompanhamento mostram que elas não são sustentáveis em longo prazo e que as pessoas voltam a ganhar o peso perdido em grande parte. Elas são tão difíceis de se fazer e sustentar justamente porque são um esforço descomunal de se seguir. Ou seja, dietas são inerentemente temporárias porque as pessoas simplesmente não gostam de sofrer por muito tempo.

A força de vontade das pessoas tem limite e depois de um período seguindo hábitos restritos, elas desistem e voltam aos anteriores. Dietas pregam tipicamente a implantação de hábitos forçados e que na maior parte das vezes não são fundamentados em ciência nutricional de qualidade. Por isso, defendo a ideia de se implantar um novo estilo de vida alimentar, o qual, sim, pode ser seguido pela vida inteira e ainda com todos os benefícios de saúde e emagrecimento.

Estilo de vida saudável é uma forma de se viver em que você consome os alimentos mais saborosos do planeta Terra, focando na qualidade e esquecendo completamente a contagem de calorias ou controle obcecado de porções.”

Muitas pessoas se sentem fracassadas quando não conseguem seguir uma dieta, ficando com a autoestima abalada. Como sair desse ciclo?
Uma coisa é certa, não é fazendo outra dieta. A única forma é mudando-se o paradigma. Esquecer os esforços temporários e buscar um estilo de vida saudável para atingir o mesmo objetivo de emagrecimento, porém de forma permanente. As pessoas tendem a se motivar quando têm resultados gerados pelo seu esforço. Isso, infelizmente, não acontece com dietas em que o desafio é muito maior do que os resultados, gerando frustração.

As dietas mais restritivas realmente levam a uma perda de peso. Isso é algo possível de manter ou essa restrição irá levar a uma compulsão?
Dietas restritivas são comprovadamente falhas. Quanto mais difíceis de seguir, mais peso se perde rapidamente e mais se “reganha” facilmente depois também. O efeito
sanfona é o medo número 1 das pessoas que tentam perder peso e ele só acontece quando você emagrece com hábitos que vão contra o seu corpo. Mas ele não acontece quando você emagrece jogando a favor do seu corpo, como no estilo de vida alimentar que proponho. Restrições exageradas e falta de flexibilidade acabam, sim, gerando comportamentos compulsivos e essa é uma má ideia.

Qual a chave para cuidar da alimentação e do corpo sem sofrimento ou frustração?
Jogar a favor do corpo. É você entender que o que irá definir a sua forma física e saúde não é a quantidade do que você come (não precisa comer pouco), mas, sim, a qualidade do que se come (precisa-se comer melhor). Quando você começa a focar nisso, o quanto se come torna-se mais natural. Vemos isso diariamente em pessoas que seguem os
hábitos da “Alimentação Forte” ou qualquer estilo de vida baseado em fisiologia humana e não em hábitos restritos e artificiais.

Hoje, somos bombardeados na internet por blogueiras e “musas fitness”. Por que essas personalidades têm tantos seguidores e que efeitos isso pode trazer para nossa saúde?
Justamente porque elas representam a imagem de algo que estas pessoas gostariam de conquistar. O problema é que as pessoas não enxergam a verdade nos bastidores da maioria destas musas. Muitas delas sofrem absurdos para manter a forma ou ainda acabam utilizando-se de meios artificiais variados para atingir esse fim. As pessoas veem as fotos bonitas, mas não enxergam os meios por trás. Prender-se a essa adoração pode gerar sentimento de frustração constante. Ainda, estar em forma é uma coisa, estar saudável é outra completamente diferente.

Uma dieta saudável, além de poder levar a um corpo mais magro, pode influenciar na saúde e na qualidade de vida?
Não tem nada no dia a dia que influencie mais em nosso corpo e saúde do que a alimentação. Tudo no organismo é construído com base no que comemos, logo, uma “dieta saudável” é chave para qualquer pessoa que busque saúde, longevidade e emagrecimento. A boa forma do corpo é uma consequência natural de uma alimentação verdadeiramente correta e sustentável em longo prazo, e isso não se consegue com dietas. As pessoas querem forçar o corpo a emagrecer e isso acaba gerando o que vemos por aí: efeito sanfona e frustração. Precisamos perder peso junto com nosso corpo, respeitando sua fisiologia porque queremos viver na melhor forma física e saúde possível.

O que é um estilo de vida verdadeiramente saudável?
É uma forma de se viver em que você se nutre dos alimentos mais saborosos do planeta Terra, focando na qualidade deles e esquecendo completamente a contagem de calorias ou controle obcecado de porções. Exemplos desses alimentos são carnes de todos os tipos, peixes, frutos do mar, ovos, laticínios integrais, legumes, folhas, nozes e castanhas, gorduras boas como manteiga, óleo de coco, azeite de oliva, banha de porco, bacon e uma infinidade de outros alimentos verdadeiros e que sempre fizeram parte da dieta tradicional humana. É uma forma alimentar que te dá flexibilidade para “pisar na bola” de vez em quando sem problema algum ou risco de colocar tudo a perder. É um estilo de vida em que você se exercita por se sentir tão bem e disposto a ponto de querer fazer isso, não fazer por obrigação quando se sente cansado e com falta de energia. Isso é um estilo de vida verdadeiramente saudável.

O efeito sanfona é o medo número 1 das pessoas que tentam emagrecer e ele só acontece quando você emagrece com hábitos que vão contra o seu corpo.”

Como seu livro pode ajudar os leitores?
Justamente mostrando como o corpo funciona em relação ao emagrecimento e como construir no dia a dia, passo a passo, o estilo de vida da “Alimentação Forte”, que é justamente isso: uma dieta focada na qualidade do que se come e não na quantidade. Ela deve ser flexível, saborosa e dinâmica, levando as pessoas ao peso ideal e as mantendo lá sem esforço. O livro quebra mitos nutricionais e dá liberdade alimentar, tudo de forma fácil e simples de seguir.